Pular para o conteúdo principal

Quanto custa um novo negócio?



    Meus alunos fazem essa pergunta toda hora. Tanto os que desenvolvem o negócio próprio quanto os que empreendem nas empresas em que trabalham. Depois de alguns minutos de conversa, alguém sempre pergunta: “onde consigo investimento para começar esse novo negócio?”

Se você acompanha revistas e programas sobre empreendedorismo, com certeza já viu matérias sobre investimento anjo ou sobre como fazer apresentações para investidores. Todo o mundo está falando sobre isso. Acontece que a realidade é bem mais simples. Ninguém precisa sair correndo atrás do dinheiro de terceiros.
Negócios que começam com R$0 (isso, zero reais)

Nessa faixa, existem pelo menos dois tipos de negócios. Aquele em que o empreendedor não tem outra alternativa de carreira e começa a empreender por necessidade, “do nada.” Outro tipo de negócio é aquele em que o empreendedor acumulou tanta experiência que consegue desenvolver – apenas com seu conhecimento técnico – um serviço pronto para ser vendido. Nesse caso, o empreendedor (e equipe) tem uma grande habilidade para prototipar e testar soluções para o mercado alvo.
Negócios que começam com até R$10.000

Esses são alguns dos mais interessantes. Eles podem (ou não) serem “derivados” do tipo anterior. Podem ser negócios como o Buscapé ou Facebook, por exemplo. Ou seja, mesmo iniciando com zero reais, é preciso hospedar um site na internet, pagar uma ferramenta de email marketing e fazer o logotipo da empresa.
Lendo isso, você pode dizer “mas Thiago, tanto o Facebook quanto o Buscapé conseguiram investimento.” Você tem razão, mas eu destaco que eles não começaramcom investimento externo. Os empreendedores desenvolveram algo, antes de captar dinheiro no mercado.
A diferença está na abordagem: algumas pessoas priorizam a busca por investimento, mais do que se preocupam com o desenvolvimento de produtos ou serviços.
Negócios que começam com até R$100.000

Esse tipo de negócio tem algumas características específicas. Alguém que conseguiu juntar cerca de R$100.000 para iniciar um negócio pode ter feito isso por conta própria (maior probabilidade) ou por meio de investidores (menor probabilidade). Cerca de 2 milhões de negócios são abertos por ano no Brasil e apenas uma fração deles começa com investimento nesse volume.
Quando falamos de um volume de cerca de R$100.000, espera-se que a ideia da solução já tenha sido prototipada e validada. Ou seja, o dinheiro não será gasto para “testar” se o produto/serviço tem aderência ao mercado. Baseado na experiência de acompanhar milhares de empreendedores ao longo dos últimos anos, critique
Negócios que começam com mais de R$100.000

Os negócios que precisam de mais de R$100.000 de investimento inicial para sair do papel devem ser analisados com lupa. Com a variedade de tecnologias disponíveis atualmente, é possível prototipar muitos modelos de negócios antes de investir esse valor. Pense em fazer um desenho ou video explicando a solução. Desenvolva a primeira versão, por mais estranha que possa parecer. Se necessário, contrate alguém por um ou dois mil reais para fazer um “story board” que conta a história que você está tentando resolver.
Negócios que começam com mais de R$500.000

Idealmente, negócios que começam com mais de meio milhão de reais são criados por pessoas que entendem muito do mercado em que atuam. Eles conhecem as informações, práticas e influências dominantes no mercado alvo. Dessa forma, o dinheiro não é utilizado apenas para testar soluções, mas para conectar – com lucro! – produtos e serviços a potenciais influenciadores e compradores. Nesse volume de investimento, ao mesmo tempo em que é necessário um plano para gastos, é preciso flexibilidade. Ou seja, é importante saber que mesmo conhecendo um mercado específico, a economia é dinâmica e as prioridades pode mudar.
Se quiser conhecer mais sobre prototipagem, conheça o livro Product Design and Development (em inglês). Estudei com esse livro quando fiz um curso na NYU Tandon School of Engineering. Ele é a fonte da maioria dos autores modernos que escrevem sobre o tema.
* artigo publicado originalmente no Blog QEMP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os 6 tipos de empreendedores: você sabe em qual você se encaixa?

Com a constante crescente do empreendedorismo no Brasil, crescem também os estudos e definições sobre o tema. Nunca se falou tanto em empreendedorismo no Brasil como nos últimos anos. Ainda bem! Com a economia mundial longe de uma estabilidade plena e duradoura, dar o tão temido passo rumo ao empreendedorismo pode ser uma solução ou uma hipótese a ser totalmente recusada. Como você se vê diante disso? Como a cultura empreendedora faz parte da sua vida?  Quais são os tipos de empreendedores existentes hoje? Eu sei que nossos leitores por aqui são antenados, mas não custa reforçar: ser empreendedor não é necessariamente ter um negócio próprio. Inclusive você pode ter o seu negócio e ser “apenas” um empresário, não um empreendedor. Bem como um funcionário pode ser empreendedor sendo “apenas” colaborador de uma companhia.   O desejo por mais qualidade de vida também influenciou para o crescimento do empreendedorismo O pensar empreendedor, somado à vontade de deixar de receber

Nós vivemos em nossa mente

Gastamos muito tempo comprando casas bonitas, decorando-as de acordo com os nossos desejos, fazendo tudo parecer muito agradável. Nós as mantemos limpas, bem mobiliadas e lindamente decoradas, e as exibimos com orgulho para as outras pessoas. Mas, na verdade, não vivemos em nossa casa, vivemos em nossa mente. Também passamos muito tempo cuidando de nossa aparência física, sempre tentando parecer jovens e atraentes, usando o tipo certo de roupas e procurando dar às pessoas o tipo certo de impressão. Nós pensamos: “Este sou eu”. Se vamos para outro lugar, deixamos nossa casa para trás, não somos caracóis. Mas carregamos nossa mente conosco para todos os lugares, vivemos dentro dela. Tudo o que vemos é projetado para nós através de nossos órgãos dos cinco sentidos, incide sobre nossa consciência e, em seguida, é interpretado pela mente. A mente em si é considerada um sexto sentido, aquele que está constantemente produzindo memórias, pensamentos, ideias, opiniões, julgamentos, gos

Meu negócio quebrou. E agora?

Montar (ou fechar) o primeiro negócio ainda é tabu para muitas pessoas. Se você já passou por isso ou está planejando começar (ou fechar) um, mais cedo ou mais tarde irá se perguntar se está no caminho certo. Seja motivado por fatores externos (pressão da família ou amigos) ou internos (autocobrança), você se pegará pensando: estou na direção do sucesso ou fracasso? Ao longo dos anos, acompanhei muitos empreendedores durante a fase de preparação e planejamento de uma empresa (inclusive minhas). Aprendi que os motivos que levam alguém a empreender o negócio próprio têm relação direta com a percepção de sucesso ou fracasso. 3 lojas de uma vez Certa vez acompanhei um colega que trabalhava como gerente em um banco durante seus primeiros passos como empreendedor. Com um salário de R$10mil por mês, seu principal objetivo com o novo negócio era obter uma renda igual ao que tinha como funcionário. Para isso, decidiu abrir ao mesmo tempo três franquias de uma rede que vend